segunda-feira, 11 de julho de 2016

Crítica - Caça-Fantasmas

 
Três décadas após o clássico filme estrelado por Bill Murray e cia, “Caça-Fantasmas” surge como o recomeço da série nas telonas. Ao invés de novos atores nos clássicos papeis do original, a proposta foi trabalhar com um novo time composto exclusivamente por mulheres. Dessa vez, o grupo é formado por Erin (Kristen Wiig), Abby (Melissa McCarthy), Jillian (Kate McKinnon) e Patty (Leslie Jones). 

“Caça-Fantasmas” abre com uma sequência envolvendo um museu amaldiçoado, que logo virá a ser um dos primeiros casos do grupo. Nestes primeiros minutos, já é possível observar como o reboot trabalha com o terror de forma mais intensa, apresentando figuras mais aterrorizantes e até provocando pequenos sustos. Mas basta que o foco seja direcionado para as personagens para lembrarmos de que se trata de uma comédia – e das boas, eu diria. 

Cada personagem é introduzida com calma, havendo um tempo de tela muito bem distribuído para a apresentação. Erin, a mais pé no chão, é a primeira a aparecer. Logo depois, vêm Abby, que meio que “encabeça” a equipe, e a extremamente surtada Jillian, um dos grandes destaques do filme. Patty, a grande conhecedora de Nova York, é integrada posteriormente. Assim como no original, há um ótimo equilíbrio entre as personalidades de cada integrante, o que favorece a dinâmica e a relação entre estes personagens. 

Assinado por Katie Dippold e Paul Feig, o roteiro evolui com naturalidade, trabalhando muito bem o desenvolvimento da trama, sem correr demais com algum plot ou sobrecarregar outro. E ao passo que isso é feito, o longa reinsere e referencia elementos dos filmes originais. O logo do grupo, por exemplo, é obra de um grafiteiro que perambula pelo metrô da cidade. Impressiona não somente as homenagens e referências ao filme original, mas a forma como o filme trabalha com elas.

No mais, “Caça-Fantasmas” é um filme muito divertido, que consegue incluir piadas pontuais e se aproveitar da relação entre as personagens para fazer boas sacadas. E se a ação mais intensa, com melhor uso do cenário, também contribui para o resultado final, não há dúvidas que é um filme que atualiza a franquia de forma muito proveitosa.
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos