quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Crítica - Os Oito Odiados

 

Em seu oitavo longa-metragem, Quentin Tarantino retorna ao western. Enquanto a primeira empreitada foi marcada pela história de vingança do escravo liberto Django, Os Oito Odiados parte para um caminho diferente, colocando seus odiosos personagens em situações extremas num pequeno chalé.

Na trama, o Major Marquis Warren (Samuel L Jackson) e John Ruth (Kurt Russell), dois caçadores de recompensa, dividem uma diligência que vai para a cidade de Red Rock. Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh), uma fugitiva escoltada por Ruth, e Chris Mannix (Walton Goggins), que diz ser o novo xerife de Red Rock, também estão no veículo. Em meio a uma forte nevasca que se aproxima, os quatro decidem parar num alojamento. No local estão Sanford Smithers (Bruce Dern), um antigo general da Confederação, o carrasco Oswaldo Mobray (Tim Roth), o taciturno Joe Gage (Michael Madsen), e Bob (Demián Bichir), um mexicano que toma conta do local temporariamente.

Seccionado em capítulos, o filme apresenta seus primeiros personagens com calma, um de cada vez. Isto nos ajuda a entender, logo de cara, as diferenças e conflitos morais existentes entre estes, mesmo que um embate físico demore um pouco para acontecer. Tais entrechoques tomam lugar nos afiados diálogos, quase que antecipando uma chuva de sangue que parece iminente. Os conflitos, já estreitos na diligência, chegam aos extremos na cabana de Minnie.

Com toda a propaganda dos 70mm, formato escolhido por Tarantino, muitos esperavam que Oito Odiados aproveitasse as montanhas do Colorado para explorar lindos e gelados planos abertos até não poder mais, porém, é no claustrofóbico Minnie’s que Tarantino conta dois terços de sua nova história. Isolado por motivos geográficos e, naquele momento, climáticos, o chalé é o palco perfeito para o cineasta despejar uma boa quantidade de dinamite e esperar pela faísca que porá tudo em chamas. Para a tarefa ele conta também com a ajuda da boa fotografia assinada por Robert Richardson, que trabalha com sutileza o escuro ambiente e as superfícies geladas daquele inverno.

E é também nos diálogos que levam a estas situações que passamos a conhecer cada um daqueles alojados. De poucos flashbacks, o filme aposta na credibilidade das histórias contadas pelos personagens para expandir seu próprio universo. Se não temos certeza se Joe Gage é de fato o cowboy solitário que passa o natal com sua mãe, o que dizer da história de Chris Mannix, o suposto novo xerife de Red Rock que acaba de perder seu cavalo? Ao final, pouco importa o que é verdadeiro ou não, são estas incertezas que movem grande parte das situações do filme. 

Oito Odiados, com seu ótimo elenco, faz jus ao alto nível das atuações da filmografia de Quentin. Ainda que Jackson seja o grande destaque do filme (merecidamente), há de se falar da imponência de Kurt Russell ao encarnar Ruth e a talentosa Jennifer Jason Leigh, que trabalha Daisy com o misto de despojamento e ameaça que a personagem requer. Curiosidade: Nos anos 1960, Bruce Dern, que não poderia estar melhor em seu papel de General Smithers, atuou em western como A Marca da Forca, com Clint Eastwood, e Gigantes em Luta.

Desconstruindo paradigmas e padrões do subgênero, Tarantino, ao contrário de outros trabalhos, utiliza uma maior “sobriedade” no desenvolvimento da trama, deixando as tradicionais referências e homenagens para o próprio universo do filme. Outro ponto interessante é a boa trilha composta por Ennio Morricone, que surpreende ao apresentar temas bem distintos das canções que outrora compunha para western

No mais, trata-se de mais uma grande obra do cineasta. Ainda que os primeiros capítulos pudessem receber uma enxugada na montagem, é admirável a bela forma como são construídas as situações do filme. Com um desenvolvimento marcado pela condução de Tarantino no longos diálogos (afinal, é um filme que beira as três horas de duração), The Hateful Eight entra fácil na briga pelo posto de melhor obra do diretor. 

Alguém já reformulou o Código Tarantino depois desse filme?

-

Os Oito Odiados (The Hateful Eight) – EUA 2015 – Direção e roteiro: Quentin Tarantino | Com Samuel L Jackson, Kurt Russell, Jennifer Jason Leigh, Walton Goggins, Bruce Dern, Tim Roth, Michael Madsen e Demián Bichir
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos