segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Breve comentário sobre Faroeste Caboclo

 

Muitos falam em "infidelidade na adaptação" quando, imagino eu, nunca conseguiriam explicar trechos como "Tô precisando visitar a minha filha / Eu fico aqui e você vai no meu lugar" ou aguentar motivações bobas de determinados personagens.

Sem a preocupação de referenciar forcadamente a canção de Renato, o longa de Sampaio tem um comprometimento somente com ele mesmo. E é numa obra carregada de fantásticas elipses e rimas visuais e sonoras estonteantes que brilham também as atuações de Boliveira, Valverde e Abib.

"Olha pra cá filha da puta, sem vergonha / Dá uma olhada no meu sangue e vem sentir o teu perdão" é um trecho sensacional. Mas não há fala que substitua o incisivo e forte olhar de Boliveira na mesma passagem no longa.

Assim como a música que o inspirou, Faroeste Caboclo é grandioso, marcante. Logo em seus primeiros minutos, alguns acordes da canção original são tocados. Somos enganados, só viríamos ouvi-la por completo nos créditos. Veem como há espaço para os dois por ali?
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos