terça-feira, 7 de outubro de 2014

5 motivos para ver Lost

 
Previously, on Desocupado Nerd...


Em setembro de 2004, um avião que viajava de Sydney para Los Angeles caía em uma ilha do Oceano Pacífico. O que poucos imaginavam é que esta queda marcaria a ascensão de um dos maiores fenômenos televisivos de todos os tempos. Isto, meus caros, foi/é/será Lost.

#5. Now you're like me

Assim como os passageiros do voo 815 da Oceanic Airlines, quem assiste a Lost é jogado, logo no início, àquela maldita ilha. A imersão começa quando os personagens ali presentes desconhecem daquele lugar tanto quanto o espectador. Com a receita ideal para fisgar este já no estendido piloto, J.J. Abrams dá apenas o pontapé inicial de uma série extremamente imersiva.


Cheia de enigmas e mistérios, Lost não subestima seu espectador. O desenrolar da trama nos transforma em personagens ativos do seriado, sempre nos colocando a pensar no que, de fato, está acontecendo na ilha. Ao final, ter acompanhando o seriado torna-se uma experiência em que você sente que realmente fez parte daquilo, não que apenas engoliu mais um enlatado.

#4. Uma estrutura própria 

Lost poderia muito bem apresentar um “mistério da semana” ou usar o mesmo arroz com feijão das séries que a precederam, mas vai além e inova com sua própria e inédita estrutura. Quando menos esperamos e já estamos acostumados com os flashbacks, novas formas de se contar aquela história são inseridas e toda a coisa muda novamente. Ao fazer com que o mesmo estilo que a consagrou não a torne limitada, a série não sente pudor em beber de outras fontes.

Consagrados pelo uso do cliff-hanger, os season-finales – e até os próprios episódios semanais – são comumente lembrados pelos picos de mistérios apresentados e revelações-chave para a trama. Este é um dos principais motivos a explicar o porquê de Lost ser tão memorável e envolvente. Já era comum em outras séries? Não com a qualidade e inventividade desta.

Ahhh...

#3. Os mistérios

Como citado agora há pouco, os mistérios são tão deliciosamente envolventes que você, gostando ou odiando (o que é difícil), dificilmente sairá o mesmo após Lost. Ainda que alguns enigmas soem demasiados forçados, todos têm uma lógica naquela ilha desgraçada. Ah, mas nem todos foram explicados. O final não explica nada! Meu amigo, você merece jogar Tetris com notas de tutoriais e dicas na própria tela pra você aprender a parar de reclamar disso.


Lost, em si, já é um grande mistério. E é aí que entram...

#2. A filosofia, as teorias, reflexões, teses, etc, etc

Logo de cara você descobre que tem um sujeito chamado Locke. Olha, ali tem um Bakunin (abraços, Gustavo Bakunin, meu amigo). Espera, que tal de Humne é aquele? Enfim, Lost é cheio disso. As referências a filósofos importantes vão além do simples nominho em cada um e já nos apontam um pouco de cada personagem, seja em sua construção ou em seu estabelecimento/importância na história.


Porém, tais suscitações não são dadas de cara para o espectador. Nada em Lost é assim, aprenda. A série não subestima o espectador em nenhuma de suas seis temporadas e o deixa livre para pensar, conjecturar, quebrar a cabeça, etc. Ah, mas no final tá todo mundo morto. No final você estava errado, ou não, vai saber. Afinal, qual é a diferença? Ainda bem que Lindelof/Abrams não nos explicaram tintim por tintim.

#1. Você vai sentir falta


Se eu soubesse que, ao terminar a série, eu sentiria a falta que sinto de Lost, eu talvez não tivesse visto tudo de forma tão rápida. Aliás, isso é até importante dizer. Com tudo já disponível por aí, quem não faria isso?

Parece até que esse motivo é, na verdade, um desmotivo. Mas não é. É por causa da excelente construção de seus personagens, da boa trama desenvolvida, das atuações fantásticas, da imersão, da música linda de Giacchino, da ilha, das estruturas malucas e de tudo mais que esta série pode nos proporcionar que Lost é tão memorável. Logo, sentir saudades é uma das provas concretas de que sim, Lost é sensacional.


Se sentiu convencido por esses motivos tão subjetivos e bobinhos? Vá em frente, veja Lost, sinta Lost. Não? Então vai ver Malhação porque é isso que você merece. 

Obs.: Obrigado, João!
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos