segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Tirando a poeira de Misery

 
Misery é um relançamento de 2014 da editora Suma das Letras, originalmente lançado em junho de 1987 nos EUA. Nesta obra Stephen King está em sua melhor forma, como dizem os fãs do mestre do suspense. Segundo livro que li do autor, serviu como uma espécie de reentrada em seu universo de terror e medo. E que reentrada!


Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegarão ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em Misery – Louca obsessão, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo. [Sinopse retirada do Skoob]

Imagine que você é um escritor famoso, best-seller. E que sofre um acidente em um lugar ermo. Alguém te encontra e te resgata dos destroços. O problema é que quem te salva é uma fã dos seus livros com sérios distúrbios psicológicos. Uma psicopata. Você tem duas pernas quebradas, mas ela não chama o resgate, não te leva para o hospital, e te mantém em cárcere privado. Droga você e te obriga a escrever um livro do jeito que ela quer. Manipula, maltrata, tortura. Continuamente, por dias, semanas, meses a fio. O único rosto que você vê nesse tempo é o dela. Isso é o suficiente para deixar qualquer um louco, não?

Esse é basicamente o enredo dessa obra assustadora, inquietante, que te faz suar frio e desejar, com todas as forças, que o protagonista Paul Sheldon sobreviva e dê um fim à enfermeira atormentada que o sequestrou. E essa é umas características mais bacanas do livro: a capacidade de te fazer se colocar no lugar do protagonista o tempo todo, sentir as dores, o ódio e o desespero que ele sente.

A escrita de King é fluida, prende a atenção do leitor como nenhuma outra e nos consome. É impossível não sentir pavor a cada página. Ele mexe com nosso psicológico e parece ter a chave secreta para acessar nossos pensamentos mais primitivos.

No campo do terror e do suspense, Stephen King é um deus.


Para quem nunca leu nada do escritor, “Misery” é um ótimo começo. Indico para aqueles que adoram suspense, terror, e têm estômago forte. O livro possui trechos fortes, chocantes até – que vão fazer os fãs do verdadeiro terror vibrarem.

[MUITO RECOMENDADO]
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos