segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Crítica - Roteiro de documentário: Da pré-produção à pós-produção

 
Conhecer a fundo aquilo que de que se gosta de coração é tarefa quase que obrigatória para qualquer um. Em minha empreitada para imergir de vez no cinema, Roteiro de documentário: Da pré-produção à pós-produção foi um dos livros que comprei para não depender somente da internet (sacomé, é fácil começar num artigo sobre Godard e, de repente, estar vendo vídeos de gatinhos pulando).  

Escrito por Sérgio Puccini, o livro apresenta uma excelente descrição dos diversos momentos da produção de um documentário e possui uma escrita bastante fluida até mesmo para os leigos na área.


Este livro investiga o processo de roteirização do documentário entendido como modo de organização da produção e do discurso do filme. Se no filme de ficção a escrita do roteiro ocorre integralmente no período de preparação, anterior à pré-produção e a filmagem, no documentário essa escrita muitas vezes se estende por todo o processo de realização – trata-se de uma escrita aberta. Com base nessa constatação, Sérgio Puccini tece considerações sobre as três etapas de uma produção cinematográfica: pré-produção, filmagem e pós-produção, ressaltando o papel de cada uma na construção do documentário. Mostra ainda que a possibilidade de se trabalhar com um roteiro aberto faz com que as funções técnicas, como direção de fotografia e edição, tenham maior participação criativa no filme, chegando, em alguns casos, a dividir os créditos de autoria. [Sinopse retirada da contracapa do livro] 

Apesar de seu caráter acadêmico e demasiado teórico (o que não é problema algum), Roteiro de documentário se propõe a explorar, com calma e sem medo de aprofundar nas minúcias, o processo que envolve a produção de filmes do gênero. Engendrada da recente enxurrada de documentários que vi este ano, minha vontade de comprar este livro foi elevada quando vi Cabra Marcado para Morrer, filme que é bastante comentado por Puccini e é a obra essencial para se analisar terminada a leitura. 

Já que citei o fato de assistir a documentários após ou até mesmo durante a leitura, é impressionante como minha percepção mudou completamente a respeito destes. Posicionamento de câmera nas entrevistas, montagem, direcionamento do filme, discurso suscitado e diversos outros aspectos são coisas que já não mais consigo deixar passar ao ver curtas e longas do gênero. Puccini realiza um ótimo trabalho na descrição das fases da produção e atenta para os erros cometidos por muitos cineastas. 


Não pretendo me tornar um documentarista no futuro, mas Roteiro de documentário faz de tudo para que o leitor esqueça de vez esta profissão. Brincadeiras à parte, o livro explora toda a complexidade do fazer fílmico no documentário e é uma das grandes obras nesta proposta. 

[MUITO RECOMENDADO]
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos