terça-feira, 1 de abril de 2014

Tirando a poeira de Guerra nas Estrelas

 



“Guerra nas Estrelas”, como foi originalmente intitulado, chegou aos cinemas em 1977. Escrito e dirigido por George Lucas, o filme custou US$ 11 milhões e arrecadou incríveis US$ 775 milhões no mundo todo, isso sem contar com as vendas no mercado de home vídeo.

Na direção de seu terceiro longa, Lucas faz um verdadeiro épico espacial. O universo por ele criado impressiona pela profundidade e complexidade, envolvendo conflitos e guerras que captam o espectador logo de cara. E é desse panorama geral que o diretor parte para então nos apresentar seus personagens.

E se eu já os citei, não posso deixar de comentar o quão bem desenvolvidos são os personagens de “Star Wars”. Além de possuírem um carisma sem igual, Luke, Han, Leia, Obi-Wan e até mesmo C-3PO são muito interessantes do ponto de vista dramático e passam longe de serem desnecessários para o filme. Dou total atenção para Han Solo, graças à Harrison Ford temos um personagem marcante, seus diálogos são sempre geniais e suas piadas colocadas numa pontualidade absurda.


Do outro lado da força temos Darth Vader. Este não recebe tanta atenção como viria a receber nas continuações, mas já se mostra como um vilão curiosíssimo e peça interessante para o plot principal. David Prowse, com sua agoniante voz, faz muito bem o papel.

E se em termos de aventura e condução de história o filme já se assemelha muito às obras de Steven Spielberg, na trilha sonora está John Williams. Seja em sequências aventurescas ou quando novos planetas são apresentados, Williams compõe músicas memoráveis. É impossível lembrar-se do longa-metragem sem a música acompanhar tal lembrança.

As propostas estética e sonora se encaixam perfeitamente com todo o filme. A direção de arte faz um trabalho maravilhoso, assim como os efeitos, figurino e maquiagem. Tudo condiz com o que Star Wars é, assim como dá um tom único à obra de George Lucas. O som também recebe um tratamento especial, seja este nos efeitos ou na mixagem no decorrer de toda a projeção.


Nem sei o que dizer daqueles que ainda não assistiram à “Uma Nova Esperança”, trata-se de um filme extremamente empolgante para os fãs de cinema e uma obra-prima da fantasia de aventura. Aproveite que o Episódio VII vem aí e faça uma maratona das boas. Mas não se esqueça: o único tiro é o de Han Solo.

[MUITO RECOMENDADO]
 
© 2014. Design por Main Blogger | Editado e finalizado por Guilherme e Carlos